Paulista 1942 - A Arrancada Heróica (Dia do Palmeiras)

De Porcopedia - A Enciclopedia do Palmeiras

(Diferença entre revisões)
 
Linha 57: Linha 57:
<div style="text-align: center;">
<div style="text-align: center;">
-
{{#ev:youtube|CÓDIGO}}<br>
+
{{#ev:youtube|WRr6ak55teY}}<br>
</div>
</div>
[[Categoria: Partidas Históricas]]
[[Categoria: Partidas Históricas]]

Edição atual tal como 19h08min de 7 de agosto de 2017

Foi uma final, o primeiro jogo do recém-batizado Palmeiras foi justamente em uma final e contra o maior inimigo (não o maior rival), o São Paulo, e até hoje é história. A data da final do Campeonato Paulista de 1942 foi 20 de setembro de 1942, e foi batizada de "Arrancada Heroica" pelos já Palmeirenses e antigos Palestrinos. Desde então, o dia 20/09 é o Dia do Palmeiras.

Neste dia, surgiu pela primeira vez o Alviverde Imponente, o Palestra que se tornou PALMEIRAS entrou em campo com a Bandeira do Brasil, mostrando a todos que as raízes eram Italianas, mas o coração era Brasileiro. As vaias esperadas se transformaram em aplausos, a esquadra Alviverde foi aplaudida de pé.

Era a decisão do Campeonato Paulista, e os Guerreiros Alviverdes estavam com toda a história de perseguição entalada na garganta, disputavam todas as bolas como se fossem a última de suas vidas, mas enfrentavam um adversário covarde, e a partida não chegou ao final.

O antigo Palestra Itália (que, antes de se tornar Palmeiras, foi o Palestra de São Paulo por 6 meses) ganhava por 3 x 1, mas o São Paulo se recusou a continuar o jogo depois ter um pênalti (contra) marcado pelo árbitro Jaime Janeiro, o que poderia ser o 4° gol da SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS. Virgílio foi expulso no lance, cometeu falta dura em Og Moreira.

Os jogadores do São Paulo impediram a cobrança do pênalti, e a sequência normal da partida, sentando-se no gramado. Ficaram com medo de tomar o 4° gol e, com 1 atleta a menos, tomar uma goleada ainda maior. O árbitro, Jaime Janeiro, relatou na súmula deste dia que o São Paulo "fugiu".

Como diria Enrico Di Martino: "O Palestra continua no Palmeiras!".


A Campanha no Campeonato Paulista de 1942

  1. Comercial-SP 0 x 6 Palestra de São Paulo
  2. Portuguesa 1 x 1 Palestra de São Paulo
  3. Palestra de São Paulo 4 x 2 Ypiranga
  4. Palestra de São Paulo 3 x 0 Juventus
  5. Palestra de São Paulo 3 x 2 Santos
  6. Palestra de São Paulo 3 x 2 São Paulo Railway
  7. Palestra de São Paulo 2 x 1 Portuguesa Santista
  8. Palestra de São Paulo 6 x 0 Hespanha
  9. São Paulo 1 x 2 Palestra de São Paulo
  10. Corinthians 1 x 1 Palestra de São Paulo
  11. Palestra de São Paulo 3 x 0 Hespanha
  12. Palestra de São Paulo 3 x 2 São Paulo Railway
  13. Juventus 0 x 4 Palestra de São Paulo
  14. Ypiranga 1 x 4 Palestra de São Paulo
  15. Santos 2 x 5 Palestra de São Paulo
  16. Palestra de São Paulo 6 x 0 Comercial
  17. Palestra de São Paulo 4 x 0 Portuguesa
  18. Portuguesa Santista 0 x 1 Palestra de São Paulo
  19. São Paulo 1 x 3 Palestra de São Paulo (jogo da decisão)
  20. Corinthians 3 x 1 Palestra de São Paulo


A Final - Palmeiras 3 x 1 São Paulo

O jogo foi realizado no dia 20/09/1042 – Horário: 16h00.


Palmeiras: Oberdan; Junqueira e Begliomini; Zezé Procópio, Og Moreira e Del Nero; Cláudio Pinho, Waldemar Fiúme, Lima, Villadoniga e Echevarrietta Técnico: Del Debbio
São Paulo: Doutor; Piolim e Virgílio; Lola, Noronha e Silva; Luizinho Mesquita, Waldemar de Brito, Leônidas, Remo e Pardal Técnico: Conrado Ross

Local: Pacaembu
Árbitro: Jaime Janeiro Rodrigues
Público: 55.913 pagantes
Renda: 231:239$000

Gols:
1º tempo: Cláudio Pinho (Palmeiras aos 20'), Waldemar de Brito (São Paulo aos 23') e Del Nero (Palmeiras aos 43')
2 º tempo: Echevarrietta (Palmeiras aos 15')


Assista abaixo os vídeos da partida que ganhou o nome de "Arrancada Heróica" e gerou o Dia do Palmeiras, aprovado pela Câmera dos Vereadores de SP em 2005:

Ferramentas pessoais